quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Comparando os seguros viagens Vital Card e Mondial

 
Comparando os seguros viagens internacionais - Vital Card e Mondial

Sem dúvidas um dos itens mais importantes de uma viagem internacional, que muitas vezes as pessoas não dão muita importância, são os seguros viagens que te amparam não somente em caso de doenças, mas também pode te ajudar em outras circunstâncias como extravio de bagagem, emissão de um novo passaporte, dentista, advogado, fianças e uma série de outras coisas que podem acontecer em um viagem. Vai que você precise de um dentista ou médico e tenha que sair procurando por conta própria, melhor não confiar tanto na sorte assim né !?

Nas minhas viagens para o Oriente Médio eu utilizei os serviços de duas seguradoras e a diferença no atendimento e qualidade do serviços prestados foram muito grande mesmo.

A minha primeira viagem para Síria e Turquia aconteceu no mês de Fevereiro, era inverno no hemisfério norte e além do frio rigoroso que fazia nos 02 países ainda tinha o problema da baixa umidade do ar. Como já relatei em alguns posts como aqui , aqui e aqui por exemplo, onde eu  conto sobre problemas causados pelo frio, sol e ar seco em meu corpo.

Os problemas que eu tive com minha pele, foram causados pelo frio, ar seco e também pela água de Damasco, que causou danos em minha pele, que ficou toda machucada e dolorida. Então eu acionei o seguro viagem que adquiri na CVC de Volta Redonda.

O Vital Card tem um atendimento excelente, rapidamente se prontificou a mandar um médico para me atender no hotel que eu estava .... mas meu namorado que estava em Homs naquele dia, não aceitou a idéia de que um homem fosse prestar o atendimento no meu quarto e ele acabou entrando em contato com o gerente do hotel e com seguro e no fim das contas, o seguro mandou um motorista particular me  levar para o Hospital Italiano de Damasco, que ficou comigo durante todo o atendimento e me levou de volta para o hotel e ainda buscou meu remédio na farmácia.

Fui rapidamente atendida no hospital por uma dupla de enfermeiros, um homem e uma mulher, que perguntaram qual era o problema, e assim que informei que era na pele, o homem saiu e ficou só a enfermeira que perguntou onde estava doendo, mostrei as partes do corpo que estavam machucadas, no caso as pernas, braços, as costas e barrigas muito feridas e ela falava para não mostrar muito e ria, devia estar espantada com minhas atitutes despudoradas .... hehehhehe  !

 Logo em seguida veio o médico, um russo de uns 30 anos, loiros, alto e bonitão, muito educado por sinal e falou que minha pele não estava acostumada com o frio e ar seco e que era uma reação alérgica. Disse também que precisava tomar uma injeção de antialérgicos e ainda me receitou uma remédio em comprimido e disse que poderia continuar usando uma pomada de antibióticos que eu tinha comprado horas antes em uma farmácia.

Depois de receber o medicamento injetável, o motorista pegou minha receita e foi buscar o remédio e me levou de  volta para o hotel.

Gostei muito do atendimento prestado que rapidamente se prontificou a enviar um médico para ver no hotel e atendeu aos chiliques do meu namorado e enviou um motorista para me levar ao hospital.

Eu comprei o seguro com abrangência mundial e com a apólice máxima que cobria cirurgia, repatriação, emergências medicas e odontológicas, passagem e hospedagem para acompanhantes em caso de hospitalização de longa duração, translado, fiança, extravio de bagagem, emissão de passaporte e outras coberturas porque o seguro morreu de velho e estando em uma área mais tensa como Oriente Médio, um seguro com boa cobertura é essencial e recomendo muito o Vital Card.

Já na minha segunda viagem eu não consegui fazer comprar o seguro Vital Card pela internet e não deu tempo de ir até a CVC da minha cidade e acabei adquirindo o da Mondial pela Internet mesmo, apenas 02 dias antes do meu embarque para o Oriente Médio.

Tudo estava indo mais ou menos bem, porque eu estava tendo umas crises leves de gastrite e viajei assim mesmo e me arrependo de não ter mudado minhas férias para Setembro ou Outubro e viajei em Junho mesmo. Junho, verão no hemisfério norte e calor de 50º C no Oriente Médio, ar seco, sem chuvas e sol que nasce as 04:00 hs e vai embora lá pelas 08:hs da noite.

Mas na ultima semana de viagem, resolvemos  depois de ter adiado  várias vezes, passar o final de semana em Lattakia na costa da Síria e tentar se refrescar nas águas mornas do Mediterrâneo. A viagem foi boa, tudo ia bem até que no fim da tarde de Domingo, dia de jogo do Brasil na Copa, meu estomago se revirou e decidiu que queria me matar, nunca tive uma crise de gastrite tão forte, pensei que fosse morrer. Liguei para o atendimento da Mondial, falei que tava morrendo e que precisava de atendimento médico, o atendente disse que não tinha médico credenciando em Lattakia, só em Damasco. Falei fio, Damasco fica umas 6 horas de Lattakia, isso com o Muhannad dirigindo a 180 km/h( Muhanad foi quem nos levou para a praia )  ... não vai dar para chegar em Damasco não !

O atendente disse que ia tentar resolver e depois de um tempo ligou de volta perguntando onde eu tava, dai ele conversou com meu namorado e ele achou um médico em Aleppo, que ficava umas 4 horas de distancia de Lattakia. O tal médico me ligou e nos conversamos e expliquei o que tava sentindo e ele me aconselhou procurar um médico em Lattakia e que ele iria tentar achar um colega para me atender.

Dai virou um caos e meu namorado e amigos saíram para perguntar nas casas vizinhas se sabiam de médicos  próximos e tal. Dai  um dos vizinhos, abençoado seja, deu a dica de irmos ao  Le Merieden Hotel,  que fica a mais ou menos 500 metros da casa em que estavamos e segundo o tal vizinho, tinha sempre um médico de plantão lá especializado em atender turistas ocidentais, ou seja falava inglês, mas para mim  isso não iria fazer diferença porque tava acompanhada de sírios e não teria problemas em ser atendida por médico que falasse somente árabe !

Enfim fomos ao hotel o médico tinha ido embora, lembrando que era noite de jogo de Brasil e Gana, todo mundo queria assistir ao jogo, enfim os meninos conseguiram o telefone do médico e ele disse que me atenderia no consultório dele no Centro de Lattakia.

Lattakia é uma cidade bonita, organizada onde abriga o principal porto da Síria e tal. Fomos para o consultório dele, ele perguntou o que sentia, disse que não conseguia comer e que achava que ia morrer, ele usou um aparelho de ultra-som e disse que realmente era gastrite me receitou dois tipos de comprimidos, me aplicou uma injeção de analgésicos e remédios para conter o enjoo. Para que eu pudesseir comer pois eu já estava bem fraca.

Depois disso fomos comprar os remédios em uma farmácia e procuramos um lugar para assistir ao jogo, foi em um restaurante em frente ao porto.

O seguro Mondial me deixou na mão pois tivemos que contar com a sorte para achar um médico para me socorrer em Lattakia. Não recomendo utilizar os serviços da Mondial principalmente em viagens para o Oriente Médio. Eu pelos menos estava acompanhada por pessoas confiáveis e nativas, que me ajudaram a encontrar socorro, e seu fosse uma turista que não tivesse namorado ou amigos sírios, será que eu teria conseguido atendimento médico.




Legenda das fotos: 1ª apólice de seguro da Mondial, 2ª Receitas Médicas do Hospital Italiano de Damasco e do Médico de Lattakia, 3ª Cartão da Vital Card


Espero que o post possa esclarecer as duvidas de quem pretende contratar um seguro para sua viagem as Arabias ou para quem acha que não é tão importante.

Salam
Reações:

8 comentários:

  1. Salam, Andreia! Nossa, que aventura!

    Foi muito interessante ler seu relato.

    Fiz um poema...acho que você vai curtir...

    Bauce:)

    ResponderExcluir
  2. nossa realmente ficaria muito dificil, ainda bem que deu tudo certo né.

    bom saber dessas experiencias ai aprendemos sem ter que sentir na pele...

    curti! ^^

    ResponderExcluir
  3. Salam Denise !

    Foi uma verdadeira aventura minha passagem pela Síria !

    ResponderExcluir
  4. Salam Carolina !

    É bem chato ficar com a pele toda carcomida em uma viagem... ainda mais quando se tem um habibi ! Mas eu não sabia que o clima do oriente médio era tão complicado !

    ResponderExcluir
  5. Meu cliente precisou utilizar o seguro em Los Angeles pois foi acometido de uma apendicite aguda. Ligou para o Vital e seguiu para o hospital indicado. Foi atendido e operado em regime de urgência. Atendimento 5 ***** Ficou satisfeito e ja indicou outros clientes que chegaram na agencia solicitando o mesmo seguro do referido cliente.

    ResponderExcluir
  6. Salam Jurema !

    Gostei dos serviços prestados durante uma das minhas viagens a Síria !

    ResponderExcluir

  7. Será se na itália o atendimento deles também é péssimo.

    Estou na dúvida entre a mondial e a porto seguro.

    ResponderExcluir
  8. Ola Tartufo1

    Bem eu não sei se na Italia funciona bem mas na Síria não funcionou, não sei se me arriscaria de novo mesmo em outro país!

    Abraços

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário aqui!
Mensagens xenofóbicas ou contendo preconceito religioso não serão aprovadas!